Colômbia, tão perto e tão longe

Compartilhe!

Tão carismática quanto desconhecida para os brasileiros, RG Local resolveu desvendar um pouco da nossa querida vizinha, em uma pequena série de matérias sobre a Colômbia

 
“ Tudo é uma questão de despertar sua alma.” Já dizia o brilhante Gabriel Garcia Marquez, o Gabo (como é carinhosamente chamado), uma das figuras mais emblemáticas da Colômbia, terra do café, da salsa e de tantos outros personagens como Botero, Shakira, Pablo Escobar e Valderrama.
 
Chamado de “el país cafetero”, o cenário natural colombiano vai além das suas fazendas de café. Muito além. Seu território conta com parques arqueológico encontrados nos desertos, na Floresta Amazônica e na Cordilheira dos Andes, assim como seu extenso litoral, que abrange desde o Pacifico até o Mar do Caribe, onde fica Cartagena, uma cidade colonial fundada em 1533, imortalizada na obra “Amor em Tempos de Cólera” , do Gabo. Não poderia também deixar de citar suas cidades e capitais consideradas grandes centros e pólos culturais como Medellin, Cali e Bogotá, lugares que abrigam uma gama diversificada de restaurantes, bares, cafés e parques que convivem em harmonia com diferentes museus e monumentos históricos.
 


 
Um país que, assim como o Brasil, tem uma povo extremamente acolhedor e com etnias bem diversificadas (índios, europeus, negros) e que, através da sua música, costumes e principalmente pela comida, mostra toda sua riqueza cultural. Cada região nos brinda com seu prato típico. Em Bogotá e arredores, o ajiaco (uma espécie de sopa com frango, arroz, milho, alcaparras e abacate) é o maior símbolo, assim como em Medellin, a bandeja paisa (que corresponde ao nosso “PF” com variações) é o grande representante da gastronomia local. Já no Caribe, o peixe frito acompanhado de arroz de coco, patacones (chips de banana verde), juntamente com a famosa limonada de coco são considerados o carro-chefe da região. Todos esses pratos podem ser facilmente encontrados tanto em restaurantes, como em barracas espalhadas pelas ruas.
 
Por isso, quando se fala da Colômbia, é impossível não destacar a comida de rua, fruto da informalidade do país, em que barracas e carrinhos, espalhados pelas cidades, oferecem uma enorme variedade desde frutas típicas e sucos até as arepas (massas de milho recheadas), os tamales, empanadas, frango frito, carnes assadas, bolinhos, ceviches e caldos.
 
Com tanta diversidade e riqueza cultural e beleza natural, acho incrível pensar que um país vizinho ao nosso tão semelhante e encantador é ainda um desconhecido. Ainda bem que a Colômbia é desses lugares que basta ir uma vez para se apaixonar pra sempre.
 
Se você gostou deste post deixe o seu comentário ou assine o RSS feed para receber as próximas matérias em seu feed.
Felipe Lima

Felipe Lima

felipesdelima@gmail.com

Paulistanamente brasileiro, apaixonado por gastronomia, um geminiano sem cura, sonhador, impulsivo, curioso que adora se reinventar o tempo todo. Adora um café coado. Adora sotaques. Bolo. Viajar. Ler. Escrever. Adora falar. Adora ouvir histórias e estórias. Adora conhecer e aprender, sempre. Conectar. Trocar idéias, experiências, olhares, receitas e gentilezas. É publicitário e chef por formação e jornalista por vocação, hoje faz um pouco de tudo; colabora com blogs e revistas, produz eventos, cozinha, viaja, empreende e neste ano entrou para a lista das dez semi-celebridades mais chamadas para bailes de debutantes.

No Comments

Post a Comment