Águas do Jalapão!

Compartilhe!

A experiência de explorar o Parque Estadual do Jalapão (PEJ) é única. A cada dia, há paisagens espetaculares que saltam aos olhos e impressionam. Nossa primeira parada na viagem foi Taquaruçu, uma cidade próxima a Palmas, rica em natureza e recheada de rios, trilhas e cachoeiras. Conhecemos as do Escorrega Macaco e a da Roncadeira. Esta última, aliás, oferece a opção de fazer rapel nos 70 metros de queda que possui. Ficou para a próxima vez que voltarmos. De lá, partimos para a pedra furada, uma obra de arte esculpida pelo tempo, com suaves pinceladas do vento. Um morro de mais de 100 metros de altura, com grandes fendas que formam pontes e túneis. Este foi o cenário que paramos para ver o primeiro, de muitos, pôr-do-sol da viagem.
 
O dia terminou em Ponte Alta, uma das pequenas cidades que existem dentro do PEJ. Após o longo e cansativo dia, fomos direto à pousada Águas do Jalapão. De uma simplicidade cativante e de grande delicadeza, tivemos a agradável surpresa ao ver a área de integração que possui a pousada, com churrasqueira, mesas do lado de fora e um belo jardim, tudo em torno da piscina.
 


 

Não tivemos opção. A área espaçosa e clima agradável nos “obrigou” a tomar uma gelada e curtir a companhia de nossos companheiros de viagem. No dia seguinte, à luz do sol, a beleza da pousada ficou ainda mais aparente. As flores ganharam destaque ao lado da piscina, que, a todo momento, faz um convite irresistível de passar algumas horas estirados por ali.
 
O nome “Águas do Jalapão” não poderia ser mais pertinente. São incontáveis nascentes de água ao longo dos 250 hectares do terreno em que se encontra a pousada. Em uma das nascentes, foi criado um espaço para banhar-se. É o Banho Natural na Vereda. Com temperatura ideal, uma queda d’água que faz uma bela massagem e um espaço que comporta confortavelmente quatro pessoas, é o lugar perfeito para relaxar após um longo dia explorando o Jalapão.
 
A propriedade, de Nilton Eduardo Rovessi, foi adquirida há nove anos para se tornar uma fazenda. Porém, a terra pouco fértil da região, somada à ascensão do turismo, levou Nilton, um ano depois, a mudar de ideia e adaptar a construção da fazenda para uma pousada.
 
Desde o começo, o responsável pela organização operacional do dia-a-dia é João Melquiades Almeida, o famoso Jota. Tem a ajuda de sua esposa, Eva Domingues Almeida Pereira, que cuida da deliciosa culinária da pousada. Figuras inspiradoras, originários de Ponte Alta. Jota trabalhou sua vida inteira cuidando de chácaras. Quando um amigo de Nilton lhe chamou para gerenciar a fazenda, achou que era mais um trabalho na sua vida. Mas lembra que gostou da mudança.
 

“Mudou para melhor! Prefiro trabalhar em uma pousada mesmo, ao invés de uma fazenda!”

 


 
Um espaço de integração agradável, as inúmeras belezas naturais, o Banho Natural na Vereda, a piscina convidativa e a deliciosa comida caseira marcaram a experiência na Pousada Águas do Jalapão. Por isso recomendamos, quando estiver por Ponte Alta-TO, não hesite em se hospedar por lá!

Se você gostou deste post deixe o seu comentário ou assine o RSS feed para receber as próximas matérias em seu feed.
Guilherme Merlino

Guilherme Merlino

guimerlino@gmail.com

Quero compartilhar os aprendizados das realidades culturais que encontrar em minhas experiências pelo mundo Vivenciar as culturas locais de forma respeitosa, com gentileza e delicadeza, e acima de tudo: viver para viajar, viajar para viver.

1 Comment

  • Boa tarde gostaria de saber valores para casal de 5/01 a 15/01 abraço.

    agosto 18, 2015 at 4:11 pm

Post a Comment