Conheça o único Eco Lodge do Parque Estadual do Jalapão!

Compartilhe!

Quando imaginava que não poderia haver mais nada para ver no Jalapão, a última noite reservou uma agradável surpresa. O 3º dia de nossa expedição foi recheado de momentos emocionantes. Foi a primeira vez que tive contato com os fervedouros, um dos fenômenos mais espetaculares da natureza. São nascentes que formam piscinas naturais, nas quais é impossível afundar, devido à força d’água que surge da terra. Foi o dia também que conhecemos a comunidade quilombola do Mumbuca, que vive da venda de artesanatos feitos do manuseio de capim dourado. Foi o momento mais emocionante da viagem.
 


 
No fim deste dia, chegamos à Serra da Catedral, que leva este nome devido a uma de suas faces ter um chapadão gigantesco no formato de uma catedral. É lá que se encontra o Jalapão Eco Lodge, o único hotel que leva um conceito ecológico em todo o PEJ. Com início das operações em 2015, o Eco Lodge possui quatro cabanas, chamadas de Buritibanas, devido ao material usado em sua construção. Lúcio, idealizador deste projeto, sempre buscou inovações.
 

“Vamos inventar, fazer algo diferente. Ai surgiram as buritibanas!”

 
O diferencial do hotel não para por ai. Toda a energia utilizada é captada através de energia solar, desde a luz das cabanas, até os irrigadores de grama. Pneus foram integrados à paisagem e transformados em belos caminhos de um lugar para o outro. Antigos objetos de fazendas se tornaram parte da decoração. A casa de banhos obedece a princípios ecologicamente corretos, com economia de água, aquecimento solar e sistemas completos acoplados aos vasos.
 
A arquitetura é única e traz uma nova leitura para as construções no Jalapão. Todas as técnicas evoluídas pelos proprietários são feitas com execução da mão de obra local, utilizando matéria prima da região. Um redário se destaca no centro do jardim, com estrutura rústica de madeira coberta de palha, ideal para dar aquela relaxada após os longos dias de atrações. As quatro “Buritibanas” chamam a atenção por não possuírem portas, apenas grandes cortinas que separam as duas camas de casal do jardim. Uma cantina proporciona comodidade para cerca de 50 pessoas, com estrutura rústica, mas com forno de pizza, fogão a lenha, churrasqueira grande e fogão industrial.
 
Mas o que mais se destaca, sem dúvida, é o bangalô. Construído no topo de um morro, com uma estrutura mais luxuosa do que o restante das construções. Há uma cama de casal com janelas até o chão que se abrem totalmente, proporcionando uma vista espetacular e exclusiva da Serra da Catedral. Há uma sacada com um chuveiro e uma jacuzzi, que podem ser aproveitadas na maior liberdade e privacidade. E uma bela árvore dá um toque especial na decoração do ambiente. Uma experiência única, ideal para um casal apaixonado!
 


 
Além de toda a estrutura para acolher da melhor forma os turistas buscando uma experiência agradável em sua hospedagem, o Jalapão Eco Lodge oferece também várias atrações para aproveitar as belezas da região. As trilhas que levam até o topo de um morro próximo podem ser feitas a pé, em um bom passeio de trekking, ou através de mountain bikes, oferecidas pelo próprio local. Durante todo o percurso é possível observar diversas e belas aves da região, com destaque para as lindas araras azuis. No fim da trilha, um belo rio te recebe para dar uma refrescada no calor, com um possível mergulho ou uma simples relaxada no Quiosque do Soninho, que fica à beira do rio. Tudo isso é representação na prática da Missão do Eco Lodge.
 

Promover a conservação ambiental e oferecer serviços turísticos que proporcionem o avivamento da busca interior do ser com a natureza.

 
Sem dúvida, foi a melhor noite de sono e a melhor experiência com um hotel em nossa passagem pelo Jalapão. Recomendamos que aproveite as acomodações do Eco Lodge e se for com o seu par, vale a pena curtir o romantismo do Bangalô. O que Lúcio está fazendo é repensar e revolucionar o turismo do PEJ. Alguém que acredita que o ser humano e a natureza são um só e que devemos aproveitar ao máximo as belezas sem nos esquecer de nossa responsabilidade em conservar todo este cenário. Vale a pena apoiar esta iniciativa!
 

 

CONHEÇA O IDEALIZADOR DESTE PROJETO

 

“Bom, eu sou uma metamorfose ambulante”.

 
Esta foi a primeira resposta que nos deu Lúcio Flávio Marini Adorno, criador do Jalapão Eco Lodge. A simples pergunta era “você é de São Paulo?”. Ficou claro neste instante que estávamos na frente de uma pessoa diferente.
Lúcio se autodenomina “ongeiro” de carteirinha. Por muitos anos, militou pela proteção à natureza. Já presidiu a Agência de Turismo do Estado de Tocantins, entre 2011 e 2012. Como professor, sempre levou seus conceitos para dentro da sala de aula. Formado em geografia, sempre vislumbrou ir muito além de um simples diploma.
 

“Não vou simplesmente me formar, quero uma carreira sólida!”

 
Com sangue de explorador, resolveu buscar uma saída do inchado mercado paulistano. Foi então que conheceu Eliseu Ribeiro Lima, responsável por levá-lo ao Tocantins. Não pôde deixar a namorada para trás e ambos se mudaram para Porto Nacional.
 
Seu primeiro contato com o Jalapão foi em 1994, quando participou de um extenso trabalho de pesquisa. Na época, a região era muito diferente. As Dunas se chamavam “Ventania”, Mateiros tinha apenas seis casas e não haviam caminhos para os atrativos. Foi a expedição deles que criou o caminho até as Dunas. Como tudo era desconhecido, Lúcio encontrou um frentista que conhecia o Jalapão, para auxiliar na viagem.
 

“Fomos os primeiros malucos a explorar a região”.

 
Naquele momento, Lúcio se apaixonou pelo Jalapão, primeiro como pesquisador e depois de forma mais profunda. Mas sua história só voltaria a se cruzar com a do PEJ mais de 10 anos depois. Em 2005, ele resolveu realizar um projeto de levantamento de impactos e capacidade de carga de cada um dos atrativos. Com o resultado, foi criada uma cartilha de orientação ao visitante do Jalapão.
 
Este projeto reacendeu a chama pelo Parque e Lúcio resolveu vender sua propriedade que tinha em Pium, na margem do rio Araguaia, e foi em busca de um lugar para fazer algo diferente, junto com sua mulher, Marta Lúcia. Ao contar do momento em que encontrou o lugar em que iria construir seu sonho, não conseguiu conter sua emoção.
 

“Me encantei com a Serra da Catedral.”

 
Foi ele o grande responsável por ter tornado a área da Serra da Catedral em uma Reserva Particular de Patrimônio Nacional (RPPN), por perpetuidade. Para celebrar a conquista, Lúcio escalou ao topo da Serra da Catedral com seus dois filhos, Luan (11) e Cauã (9), e lá de cima assinou os documentos.
 
Foi então que decidiu pôr em prática toda a teoria que ensinava na sala de aula. Saiu de professor e “ongeiro” para se tornar definitivamente um empresário. Criou o Jalapão Eco Lodge. Para construir este sonho, a complexidade operacional de trazer todo o material de Palmas, passando pelos 250km de estradas sinuosas, foi brutal. A todo momento, um trator era chamado para rebocar um caminhão atolado.
 

“O caminho inteiro você vem abraçando buraco, tem que vir na manha. É uma viagem desgastante de sete horas.”

 
Para manter o conceito Eco Lodge, Lúcio evitou o uso em excesso de madeira e optou pela estrutura metálica, junto com matéria prima da região.
 

“As árvores aqui são tudo perna do Garrincha. Por isso fizemos a base com estrutura metálica e usamos Bamboo, que eu mesmo planto, Pindaíba, Taboca, Palha da Piçava e Talo do Buriti.”

 
Lúcio teme o futuro do Jalapão, devido à exploração agropecuária que começa a ameaçar a região. Mas sem dúvida, acredita que está fazendo sua parte para reverter este cenário.
 

“Se fosse só pelo plano de negócio, não estaria aqui. Estou pela Missão!”

 
Um idealista, maluco, batalhador, professor, empresário, militante, político. Lúcio já foi muitas coisas e hoje é a soma de tudo isso. Alguém que continua a acreditar. Alguém que parou de falar como fazer e resolveu fazê-lo ele mesmo. E o resultado é espetacular. Merece a atenção e respeito de todos. E todos merecem ter a experiência de ficar em um lugar tão fantástico assim.
 


 
Fotos: Giancarlo Ceccon e Guilherme Merlino

Se você gostou deste post deixe o seu comentário ou assine o RSS feed para receber as próximas matérias em seu feed.
Guilherme Merlino

Guilherme Merlino

guimerlino@gmail.com

Quero compartilhar os aprendizados das realidades culturais que encontrar em minhas experiências pelo mundo Vivenciar as culturas locais de forma respeitosa, com gentileza e delicadeza, e acima de tudo: viver para viajar, viajar para viver.

No Comments

Post a Comment