Uma praça que representa o Marrocos

Compartilhe!

As buzinas de carros, motos e até bicicletas são ouvidas em volta da praça e não param um segundo. Isso é de tarde, e o local já está movimentado, com comerciantes tentando vender suas especiarias e frutas e pedestres indo para lá e para cá o tempo todo.
 

A praça Jemaa El Fna, em Marrakech, que existe desde o século XI, é considerada o símbolo máximo do Marrocos, tanto que está em duas listas da Unesco, de Patrimônio Mundial e Patrimônio Cultural. Motivos para isso existem de sobra e o principal deles está exatamente no caos em que o lugar se transformou. .
 

Enquanto o barulho da reza das mesquitas ao redor se incorporam aos sons ambientes, os encantadores de cobra dominam a praça. Fique esperto se for tirar foto deles, pois na grande maioria das vezes, eles cobram uma taxa pela imagem. Portanto só tire se estiver disposto a desembolsar uma graninha. Caso contrário, deixe o registro na lembrança – os mais ousados podem tentar uma “câmera escondida” com seu smartphone, mas fica por sua conta e risco.
 

Parece bastante, mas isso não é nem o início da vida da praça. À noite o movimento aumenta e a mistura eclética começa a ficar cada vez mais evidente. Performistas, acrobatas, contadores de histórias, tatuadores de hena, músicos, adivinhos, além de moradores e turistas que passeiam pela praça. Como o trânsito de pessoas fica maior, é de bom tom prestar ainda mais atenção aos seus pertences.
 

Vai ser nas barracas que foram montadas ao longo da tarde que serão encontrados os pratos marroquinos típicos, como legumes e carnes feitos na tajine (panela especial de barro cozido), cuscuz (ou couscous) e cabeças de carneiros. É praticamente impossível resistir às comidas, pois o cheiro da boa culinária toma conta, competindo espaço em seu olfato somente com o cheiro de incenso, muito utilizado na praça, e os aromas de narguile, que chega a ser tão comum quanto o cigarro normal. .
 

As diversas barracas e restaurantes da praça podem ser um ótimo aperitivo para quem pretende esticar a noite em Gueliz e Hivernage – zonas de bons restaurantes, cafés, hotéis de luxo e baladas – sim, existem baladas em Marrakech.
 


 

Não esqueça de algumas diferenças de costumes típicas do Marrocos. Para as mulheres, conselhos tradicionais de quando a visita é um país muçulmano. Melhor não abusar de roupas que mostram muito o braço e a perna, pois pode causar alguma confusão.
 

Desconfie também quando a esmola da ajuda for demais – no Marrocos é bastante comum que as pessoas cobrem por uma informação. Se é inevitável a pergunta, já deixe no bolso algumas moedinhas separadas.
 

Quer saber mais? Veja nesta dica de passeios em Marrakech no Dubbi.

Se você gostou deste post deixe o seu comentário ou assine o RSS feed para receber as próximas matérias em seu feed.
Dubbi

Dubbi

caio@dubbi.com.br

Rede social de viajantes para compartilhar dicas de viagens. Acesse www.dubbi.com.br, tire dúvidas e ajude também quem está precisando de ajuda. Venha fazer parte dessa Revolução!

No Comments

Post a Comment