Atrás da aurora boreal na Noruega

Compartilhe!

Ver a aurora boreal. É difícil encontrar alguém que nunca tenha se encantado com esse fenômeno da natureza. Parece efeito visual de cinema ou então de algum tóxico muito louco, tamanha a confluência de luzes coloridas que vai entrar na sua retina.
 
Mas nada mais é do que o contato de ventos solares com o campo magnético do planeta que cria esse jogo de cores, em que o verde predomina.
 


 
É praticamente obrigação de um viajante que roda o mundo atrás de lugares incríveis presenciar de perto a aurora boreal. E para quem quer a máxima experiência o destino mais recomendado é a cidade de Tromso, na Noruega, conhecida como a “capital da aurora boreal”.
 
Um dos motivos para esse título é por seu clima relativamente quente. Por lá passa a corrente quente do Golfo, então as temperaturas raramente atingem os -10º C — o que, para a Noruega, acredite se quiser, não é tão frio assim. Sendo assim é muito mais fácil de aguentar as condições climáticas do que em outros lugares, como Alaska.
 
Mas, principalmente, é muito mais fácil de chegar até as regiões em que o fenômeno é melhor visualizado, geralmente nos arredores da cidade. Quanto mais longe das luzes artificiais de postes e estabelecimentos, melhor o espetáculo da aurora boreal é observado.
 
A melhor época para presenciar o fenômeno é entre os meses de setembro e março. Mas fique esperto que não há uma regra, pois há semanas excepcionais, com muitas luzes, e semanas praticamente sem nada para ser observado. Vai mesmo da sorte de cada um.
 
E quando vir a aurora boreal, não ache que acabou tudo o que a cidade pode oferecer. De 14 de maio a 29 de julho é possível ainda ver o chamado sol da meia-noite, que costuma acontecer no verão. Por dois meses, o Sol praticamente não se põe —ele até perde um pouco da intensidade a medida que a noite se aproxima, mas, pouco depois da meia-noite, já volta a brilhar novamente como se fosse uma manhã radiante.
 
Para o viajante que não conhece a Noruega, uma dica: o sistema de transporte terrestre não é tão comum quanto no resto da Europa, pois o país possui baixa densidade populacional, além de ter um território bastante entrecortado, principalmente na faixa litorânea, onde se concentra a maior parte das cidades. Porém, há bastante opções de transporte aquático e aéreo disponíveis.
Vale lembrar também que a Noruega é um dos países mais caros da Europa, como é possível constatar nos relatos de viajantes surpreendidos com o preço da comida ou das hospedagens.
 
Apesar disso, dá para tentar economizar um pouco em Tromso. A cidade conta com boa estrutura de lojas e restaurantes. Existem opções de couchsurfing e até hostels um pouco mais em conta para os padrões noruegueses, como o Magic Mountain Lodge. Ele não é muito perto da cidade, mas isso pode ser até melhor, como já vimos.
 

 
Quer saber mais? Veja aqui.

Se você gostou deste post deixe o seu comentário ou assine o RSS feed para receber as próximas matérias em seu feed.
Dubbi

Dubbi

caio@dubbi.com.br

Rede social de viajantes para compartilhar dicas de viagens. Acesse www.dubbi.com.br, tire dúvidas e ajude também quem está precisando de ajuda. Venha fazer parte dessa Revolução!

No Comments

Post a Comment